Dia dos Pais movimenta o comércio de Indaiatuba

Expectativa ainda não é das melhores, mas vendas devem subir 1,51%

Por Mariana Corrér

 

Domingo é Dia dos Pais e, mais uma vez, a lembrancinha vai dominar a data. A economia ainda não deu sinais de melhora, então muitos filhos vão segurar o bolso na hora de presentear os papais.

A expectativa para a Região Metropolitana de Campinas (RMC), segundo a Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic), é de crescimento de 1,51%, ainda tímido se comparado a números pré-crise.

Mesmo pequeno, esse aumento de vendas aumenta a esperança dos comerciantes, que viveram alguns anos de queda ou apenas de “empate” nos resultados.

Em Indaiatuba, o movimento ainda está devagar, mas já acontece nas lojas, principalmente nas de vestuário masculino. Em uma loja desse segmento, da Rua 24 de Maio, a busca por presentes já começou no início da semana. “Temos esperança de que vai ser melhor neste ano, a gente sempre espera que seja”, diz o proprietário William Souza, sem pensar em números.

Mas, sem destoar do que vem acontecendo em todas as datas comemorativas dos últimos anos, o que deve sair mais são as famosas lembrancinhas. “Camisas polo e camiseta são o que mais sai, pelo preço e praticidade”, revela o comerciante.

Nas ruas, não é diferente. Todos os filhos – e mães de crianças - não pretendem gastar muito para domingo. A maioria vai ficar com as famosas cuecas, meias, cintos ou só com o almoço de comemoração. “Vou comprar cuecas e uma camiseta, pois é o que ele está precisando; quero unir o útil ao agradável, dar o que ele precisa e ainda fazer um agrado”, conta Marina Bernatinela, contadora, que estava procurando o presente para o pai na região central da cidade.

 

TENDÊNCIA

Para William Souza, a tendência é melhorar até o fim de semana, assim como o panorama geral de vendas do ano também deve ficar mais otimista. “Estão todos muito tímidos, receosos com a política, esperando se algo vai acontecer, mas acho que é possível ir melhorando, sim”, palpita. “Enquanto isso, a gente vem inovando de diferentes maneiras, investindo mais em marketing, em redes sociais; comecei a oferecer mais que café na loja e hoje temos uma geladeira com cervejas para os clientes ficarem à vontade enquanto procuram o que querem, experimentam”, conta.

Também para se adequar à nova realidade econômica, a loja está mudando também com relação à oferta. Abriu mão de grifes, trabalha com preços mais acessíveis e investe mais nas tendências. “Apostamos em estratégias para que todos possam continuar comprando”, explica Souza.

 

A DATA

O Dia dos Pais, dentre as principais datas comemorativas de vendas para o comércio ocupa a última posição em movimentação financeira entre as seis mais importantes datas no segmento comercial. O Departamento de Economia Acic estima, no entanto, que este ano, o faturamento terá essa leve alta, enquanto o valor do presente, em média, deverá ficar em R$ 115,92 - 3,50% acima do valor de 2018.

“A inconstância atual da economia, que se encontra estagnada e o Índice de Confiança dos Consumidores em baixa frente às Reformas Previdenciárias e Fiscal comprometem a vontade dos consumidores de comprar, refletindo nas vendas”, avalia o economista da Acic, Martins.