Mostra de Artes Cênicas conta com a apresentação gratuita de 27 espetáculos em Indaiatuba

Evento promovido pela Secretaria Municipal de Cultura acontece ao longo deste mês 

A Secretaria de Cultura de Indaiatuba promove a 2ª edição da Mostra de Artes Cênicas, evento que compõe o festival Novembro em Cena. Ao longo de todo este mês, serão oferecidos 27 espetáculos teatrais gratuitos, com opções para todas as faixas etárias. (Confira a programação abaixo)

O encerramento acontece dia 27, às 17h, no Ciaei, com a montagem “Oleanna”, com direção de Gustavo Paso e Marcos Breda e Luciana Fávero no elenco (foto), com direito a debate com o público ao final da apresentação. 

Os espetáculos participantes da mostra foram definidos a partir da avaliação de todas as inscrições realizadas em chamamento aberto pela Secretaria de Cultura, mediante análise de uma comissão composta pelos profissionais convidados da área teatral Adbailson Cuba, Camila Damasceno e Edson Gory, com curadoria de Claudio Mendel. 
Confira abaixo a agenda completa e prestigie. Informações (19) 3894-1867.
 
Programação:
 
Dia 05: “CANDIM”
Grupo: Cia da Casa Amarela
Direção: Drika Vieira e Carlinhos Rodrigues
Texto: Drika Vieira e Carlinhos Rodrigues
Horário: 20h
Local: Sala Acrísio de Camargo
Sinopse: “Candim” revela a infância do pintor brasileiro Cândido Portinari e seu contato com a terra, com o povo brasileiro dentro de seu crescimento humano e social. Candim é o menino simples, sonhador, de pés descalços e calças curtas que vive intensamente  suas  aventuras  em  sua  cidade natal: Brodowski. 
Ao mesmo tempo, Candim é o  pintor  consagrado,  premiado,homenageado e que recorda seus tempos de menino do interior com emoção e lucidez. Ambos permanecem com um desafio: o Espantalho. 
O menino Candim morre de medo  daquela  figura  enigmática, que dança ao seu redor nos pesadelos que tem quando dorme. O homem Candim busca a forma de vencer esse medo retratando em seus quadros aquela   figura que, segundo o próprio pintor é o seu auto-retrato. É a menina Janelise,  uma  simples  criança  de  rua, que vem buscar Candim  –  em suas lembranças  – para ajudar a vencer o medo.Medo que todos nós  temos de alguma  coisa,  de  um sentimento, do passado, do futuro... Todos temos que enfrentar esse desafio: vencer   o   medo! Mais de 40prêmios em festivais! Foi apresentado em dois festivais internacionais em Portugal! 
 
Dia 06: “EU CHAPLIN”
Grupo: Cia Imperial do Brasil
Direção: Ralph Maizza
Autor: Leandro D’Errico
Horário: 16h e 18h (2 sessões)
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: o espetáculo, livremente inspirado na autobiografia de Charlie Chaplin, aborda poeticamente a infância difícil de Chaplin antes da fama. Através de um encontro imaginário de Chaplin e o irmão Sid, os personagens revivem sua trajetória trágica enquanto discutem o valor da arte, as angústias do artista e as mudanças constantes ao longo do tempo. 
 
Dia 10: “ÉDIPO REI”
Grupo: LaminiCAC
Direção: Andréia Barros
Autor: Sófocles
Tradução e Adaptação: Edson Gory
Horário: 20h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: escrita há mais de dois mil anos, Édipo Rei, continua atual e ainda utilizada nos estudos sobre o relacionamento e conhecimento da natureza humana, já que os conflitos desencadeados durante a peça originam-se da busca de Édipo por sua identidade.
 
Dia 11: “HÉRCULES”
Grupo: Barbatti Teatro
Direção: Rogério Barbatti
Autor: Baseado no clássico de Walt Disney
Horário: 20h30
Local: Sala Acrísio de Camargo
 
Dia 12: “CHAMA O POVO 2016”

Grupo: Gandaiá
Direção: Fábio Pimenta
Horário: 9h
Local: Praça Dom Pedro II
Sinopse: uma das coisas boas de ser palhaço é colocar o nariz onde foi chamado e onde não foi! 
Onde há um nariz vermelho, a realidade cotidiana abre alas para a concretude do sem nexo!
Machismo? Desigualdade social? Poesia? Os palhaços do Grupo Gandaiá circulam por muitos temas com transparência, humildade e acidez! Senhoras e senhores, com vocês, o esplendoroso, magnânimo e saudabilíssimo: Chama o Povo 2016!
 
Dia 12: “ENTREI NA RODA DO FOLCLORE BRASILEIRO”
Grupo: Tarto
Direção: Órion Lalli
Autor: Órion Lalli (baseado na Cultural Popular Brasileira)
Horário: 10h
Local: Praça Dom Pedro II
Sinopse: “Entrei na roda do folclore brasileiro” tem como proposta a interação entre linguagens distintas em diálogo direto com a comunidade. Dentro desse espectro de aproximação, atividades artísticas abordando algumas manifestações e transversalidades culturais do folclore presente no Brasil.
 
Dia 12: “QUE FESTA É ESSA, CRIATURA?”
Grupo: Palhaça Incrível Teimosa
Direção: Daniele Pezenti
Autor: Daniele Pezenti
Horário: 11h
Local: Praça Dom Pedro II
Sinopse: no espetáculo “Que Festa É Essa, Criatura?” se desmistifica a ideia de que “a palhacinha”, ou seja, a figura feminina, precisa ser meiga e comportada. Ela gosta de rock, toca guitarra, brinca de guerrinha de almofadas, entre muitas outras atividades que, socialmente, pertenceria ao palhaço, ou seja, à figura masculina.
 
Dia 12: “O GATO DE BOTAS”
Grupo: Cia Teatral Valeu a Pena
Direção: Bbeth Forini
Autor: Crispin Junior
Horário: 20h
Local: Sala Acrísio de Camargo
Sinopse: esse belo clássico conta a história de Bartolomeu Moleiro, um fazendeiro que antes de falecer deixa para seu filho mais novo um Gato muito esperto, porém um certo dia aparece pela região uma bruxa que invadiu tudo o que velho Moleiro a vida inteira construiu, ela escravizou os camponeses e ninguém podia enfrentá-la pois a bruxa tinho o poder de se transformar em qualquer coisa ou qualquer animal. A esperança estava no ar, estava no Gato, na inteligência, na astúcia e na coragem, no plano infalível que ia bolar.
 
Dia 13: “PROCURA-SE MÁGICO”
Grupo: Fântaso
Direção: Tiago Marcon
Autor: Tiago Marcon
Horário: 16h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: três palhaças procuram um mágico para nova atração, mas o que não esperavam é que encontrariam um novo palhaço. Com a missão de se tornar um mágico, o palhaço fracassa e é demitido. Nesse Momento Lilica, apaixonada pelo palhaço, pega a doença do amor e precisa ser tratada às pressas pelo atrapalhado Dr. Paçoca. Nessa história o que não falta é diversão e muitas risadas.
 
Dia 13: “JOIO”
Grupo: Cia Cerne
Direção: Vinícius Baião
Autor: Vinícius Baião
Horário: 18h
Local: Sala Acrísio de Camargo
Sinopse: o drama Joio nasceu de um estudo feito pela companhia sobre a temática da traição e uma pesquisa por personagens históricos, reais e fictícios cujas vidas foram permeadas pelo assunto.
 
Dia 14: “A DAMA DE 18”
Grupo: Aplaucine
Direção: Zileni Costa
Autor: Rennan Metsi
Horário: 20h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: balões rosa, vestido de princesa, um anjo, um demônio e a festa de dar pena.
Talvez crescer e ver que a vida não é uma festa rosa, pode ser difícil. 
 
Dia 15: “IMPROVISAÍ”
Grupo: Cia Nelson Polinário
Direção: Nelson Polinário
Horário: 20h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: o público dá idéias e os atores tem que se virar na hora! As pessoas escrevem suas idéias na entrada do teatro ou podem falar durante o espetáculo. Aí o mestre de cerimônias passa as regras e os atores tem que criar uma cena usando as idéias do público dentro das regras passadas. Muitas cenas, tudo feito na hora e muitas risadas no espetáculo IMPROVISAÍ.
 
Dia 16: “DOS CONTOS A VIDA REAL”
Grupo: Em Conflito
Direção: Lukas Menddes
Autor: Lukas Menddes
Horário: 20h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: cansada de viver a bruxa Anestésia decide sair do mundo encantado e ir arruinar outro mundo (o que vivemos), mas como não quer ir sózinha decide capturar a princesa Bebel e o rei Adones e levá-los com ele. Muitas coisa acontecem nesta incrível viagem!
 
Dia 18: “SONHOS ROUBADOS – Um melodrama Dell’Arte ”
Grupo: Cia Teatro da Cidade
Texto: Calixto de Inhamuns
Direção: Neyde Veneziano
Horário: 20h
Local: Sala Acrísio de Camargo
Sinopse: um Melodrama   Dell’Arte,  que   recebeu   os   olhares   sensíveis  do dramaturgo  Calixto  de  Inhamuns  e  da  diretora  Neyde  Veneziano,  apresenta  três  histórias  com  situações melodramáticas que ocorreram na cidade, duas diretamente ligadas à fase sanatorial de São José dos Campos, quando o antigo Sanatório Vicentina Aranha (hoje, patrimônio histórico do   município)   era   considerado   um   dos   mais   importantes   do   país   para   o  tratamento   da  tuberculose.  Foi recriado a partir de pesquisa  histórica  sobre  fatos  verídicos  ocorridos  em  São José dos Campos, principalmente, no tempo do Sanatório Vicentina Aranha. São acontecimentos do passado, agora narrados, cantados e teatralizados por quatro atores que vivem personagens marcantes, sob nomes fictícios que nublam e fantasiam a realidade de outrora. Hoje, mostrado sob o prisma do melodrama circense, onde o riso e o choro andam juntos, o espetáculo pretende agradar, divertir e, ao mesmo tempo, emocionar públicos de todas as idades.  Porque é olhando para nossas  coisas,  nossa  cidade,  nossa  casa,  que  nos  tornamos  universais.  Pois falamos da alma humana, sob a estética do teatro popular brasileiro. 
 
Dia 19: “URUBUS NO AR”
Grupo: Cia Quase Cinema
Direção e dramaturgia: Ronaldo Robles e Silvia Godoy
Autores:  Micheliny Verunschk e Luiz Roberto Guedes 
Horário: 17h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: o réu aguarda sua sentença, dois mortos e um segredo roubado. Corrupção, farsa, assassinato e traição marcam este espetáculo que revela a fraqueza do homem que na ânsia pelo poder manipula tudo - até mesmo você. Inspirado no movimento cinematográfico Film Noir, apresenta uma estética que utiliza as sombras para revelar a miséria do coração humano. Dois escritores contemporâneos, Micheliny Verunschk e Luiz Roberto Guedes, foram convidados a escrever sobre um mesmo tema, “Roubaram o Segredo da corporação e um homem assassinado”, o cruzamento destas histórias acontece no tribunal do júri. Numa dramaturgia que mergulha no universo dos filmes Noir, onde elementos da atualidade são o combustível que alimenta a imaginação dos escritores, deste encontro nasce um espetáculo de sombras que convida o espectador a refletir sobre os “urubus” poderosos que pairam NO AR.
 
Dia 19: “SIMBAD, O NAVEGANTE”
Grupo: Circo Mínimo
Direção: Carla Candiotto
Autor: Alexandre Roit, Carla Candiotto e Rodrigo Matheus
Horário: 20h
Local: Sala Acrísio de Camargo
Sinopse: Simbad coleta grandes riquezas em suas viagens e aventuras, sempre escapando por pouco da morte que chega para quase todos os seus companheiros de viagem, mas essas riquezas, que o fazem mais rico a cada vez que parece ter perdido tudo, na verdade o enriquecem mais como pessoa. Os conhecimentos e experiências que agrega são a verdadeira riqueza que acumula. No original, dois Simbads de diferentes profissões representam a dualidade do ser humano, seu lado noturno e fantasioso (dos sonhos), representado pelas aventuras fantásticas das quais ele se salva sempre milagrosamente, em oposição ao diurno e concreto (da realidade), representado pelo trabalho de cada dia, maçante e cansativo. No espetáculo, quem conta a história de Simbad são dois palhaços que se confrontam o tempo todo, na clássica situação da dupla de palhaços – dois artistas mambembes que vão de cidade em cidade, de praça em praça, contando suas histórias e sempre brigando, para ver quem será o herói. Com sua carroça de bambus e as técnicas que o circo lhes ensinou, eles usam os bambus para criar animais imensos, barcos, pássaros, serpentes, elefantes, desfiladeiros, tempestades. As aventuras de Simbad são, na verdade, as aventuras da humanidade, e não apenas as de um herói. Simbad, o navegante é uma história de viagens e feitos heroicos, sobre a curiosidade e a coragem de enfrentar o desconhecido. Sua maior riqueza é o que aprende nos lugares que visitou.
 
Dia 20: “O CAIXEIRO DA TAVERNA”
Grupo: Anankê
Direção: Chicó Ferreira
Autor: Martins Pena
Horário: 18h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: o texto, adaptado para os palcos, narra as peripécias do ambicioso e trapaceiro Manoel Pacheco, cujo maior sonho é se tornar sócio de sua ama Angélica Pereira, dona da taverna, que morre de amores por ele. A ambição desenfreada deste caixeiro o coloca em situações hilariantes, que certamente proporcionarão bons motivos para dar muitas risadas.O dramaturgo romântico Martins Pena notabilizou-se por satirizar a sociedade brasileira do século 19. Suas obras constituem um retrato bem realista do Brasil daquela época, e ainda trazem reflexões para os dias atuais. 

Dias 21, 22 e 23: “PALHAÇO DE CORDAS” 
Projeto Intervalão
Criação: Fernando Milani (ator) e Estevão Devides (violinista)
Horário: 10h / 14h / 17h
Local: Praça Dom Pedro II
Sinopse: palhaço de cordas nasce da necessidade de explorar e manipular diferentes formas de expressão, de transgredir o natural buscando o inexplorado. Compreendemos que o desafio das leis naturais pelo corpo humano está presente tanto no habilidade do palhaço malabarista como no dedilhar do violonista clássico. Tanto um como o outro que se habilite a realizar este desafio vive num tempo exclusivo ou no momento único da execução de seu espetáculo; no seu próprio tempo, ambos desafiando seus limites. O espectador que vê é o mesmo que ouve. O espectador que delicia seus ouvidos com o som, brinda sua visão com o movimento, a indumentária, oscilando entre o sonho e o grotesco, a fantasia e o cômico. Os momentos são solenes, mas podem ser também de relaxamento, seguidos de outro de surpresa de assombro, de riso ou irreverência. Estamos diante de uma sala de concertos ou de um picadeiro mal iluminado? O foco convergente de nossa atenção é o nosso ouvido ou nosso olhar? Teríamos mais outras formas sensoriais de desfrutar de toda a cena? Estamos diante do rigor de um recital ou da descontração de um exercício permanente de expressão artística? 
 
Dia 23: “O ENGANO”
Grupo: Cia Teatral Marli Lopes
Direção: Rogério Barbatti
Autor: Claudio Damasco
Horário: 20h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: O Engano conta a história de um casal de idosos que acham entradas para o cinema. Porém, até que saiam para o passeio, se envolvem em diversas confusões....espera parece simples não é? Mas essa é uma das tramas que rondam nosso espetáculo, a um engano maior, tanto para o publico quanto para osnossos personagens que é revelado durante a história por quem não se deixar enganar. O bom humor e o companheirismo desse casal não deixa que a doença domine sua mente apagando suas histórias. A verdade ninguém sabe, nem sempre da pra sorrir quando não se entende o que acontece, mas para essadupla tão comum e absurda ao mesmo tempo tudo pode ser tão leve quanto uma pluma ,trágico como um drama de William Shakespeareou uma comédia satírica de molière. O Mal de Alzheimer que tanto assombra nossas idosos do mundo chegou para Florisbela e Rodolfo só “esqueceram” de avisa-los! A relutância e o medo em aceitar esta demência, os envolvem em situações extremamente inusitadas e absurdas, onde levará o público a se divertir muito, a se emocionar e a repensar em atitudes e cuidados que tem por si ou por amigos e familiares.
 
Dia 24: “NA BOLÉIA DO CAMINHÃO”
Grupo: Danceatro
Direção: Junior Grotto
Autor: Junior Grotto
Horário: 20h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
 
Dia 25: “PRÁTICA INCESSANTE”
Grupo: Coletivo Fleuma
Direção: Marcus Mazieri
Dramaturgia: Pamela Martelli 
Horário: 18h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: a vida pode ser só uma vida, mas pode também ser uma prática incessante. Com esta prática incessante é que o sol, a lua e as estrelas se deslocam pelo firmamento afora, e a grande terra, o espaço sideral, o corpo e mente corretos, os quatro elementos e os cinco agregados têm sua existência e razão de ser. Partindo do termo ‘prática incessante’ do mestre zen-budista Eihei Dogen, do séc. XI, e abordando a vida cotidiana e seu incessante desenrolar de pensamentos e sentimentos, os sete atuantes, com movimentos, música, cantos e chá, destrincham as relações por trás de toda existência, encontrando as sensações primordiais que fazem de nós seres vivos. 
 
Dia 25: “AUTO DA ANUNCIAÇÃO”
Grupo: Cia Cênica
Dramaturgia: Clara Roncati
Direção: Fagner Rodrigues
Horário: 20h
Local: Praça Dom Pedro II 
Sinopse: circulando desde  2009,  Auto  da  Anunciação  é  sucesso  de  crítica  e  público  e  foi  apresentado para mais de 120.000 pessoas. Após mais um longo dia de caminhada, uma comitiva  de  viajantes  sertanejos  decide descansar.  Ao  fazer  sua  oração,  sob  a  noite  iluminada   por   uma   estrela   cadente,   relembra   o   nascimento   de   Jesus.   A   narrativa desenrola-se  em  canto,  prosa  e  verso.  Com  estrutura  de  musical  e  utilizando-se  da linguagem  melodramática,  o  espetáculo  é  ambientado  em  um  universo  regionalista, apresentando, ao vivo,  canções que compõem a memória da cultura paulista, como Meu primeiro amor , Ave Maria do Sertão , Sertaneja, Cuitelinho  e Flor do Cafezal, entre outras. 
 
Dia 26: “CINCO SEMANAS EM UM BALÃO”
Grupo: Sabre de Luz Teatro
Direção: Joyce Salomão
Autor: Júlio Verne
Horário: 20h
Local: Sala Acrísio de Camargo
Sinopse: a peça é inspirada no primeiro livro de Júlio Verne um dos mais fantásticos escritores de aventuras e ficção científica de todos os tempos, traz a idéia de dedicar-se ao que de fato tem importância explorar sua verdadeira vocação, nesta embarcação somos levados a aventura de acreditar que nossos sonhos são possíveis.
 
Dia 27: “PLUFT, O FANTASMINHA”
Grupo: Grupo de Teatro da Secretaria de Cultura
Direção: Gerê Canova
Autora: Maria Clara Machado
Horário: 16h
Local: Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol
Sinopse: Pluft é uma fantasminha muito esperto que vive com a sua mãe no sótão de uma velha casa à beira-mar. Tudo iria bem se não fosse a chegada inesperada do terrível pirata Perna-de-Pau, que aparece à caça de um tesouro escondido naquela velha casa. Numa aventura repleta de emoção e suspense, nossa fantasminha defenderá o seu território, com a ajuda da doce Maribel. Mas para isso, os dois precisarão se unir antes, pois Maribel tem medo de fantasmas, enquanto Pluft tem medo de gente.
De forma lírica e envolvente a história fala da busca da identidade e dos medos infantis, propondo uma reflexão frente ao temor do desconhecido.
 
Dia 27: “OLEANNA” com Marcos Breda e Luciana Fávero
Direção: Gustavo Paso
Texto: David Mamet
Horário: 17h
Local: Sala Acrísio de Camargo
Sinopse: prestes a ser reprovada, uma aluna procura seu professor e lhe cobra maior empenho na arte de ensinar. Este é o ponto de partida de três encontros entre os dois personagens que o espetáculo ‘Oleanna’ traz, mostrando a relação de poder que se estabelece entre um professor e sua aluna. Em meio a diversos desentendimentos e desencontros que se estabelecem, e diante da impossibilidade de comunicação, a relação perde o controle, com um desfecho surpreendente. ‘Oleanna’ é uma tragédia da incomunicabilidade, segundo o autor norte-americano David Mamet sobre sua própria peça. APÓS A PEÇA HAVERÁ UMA CONVERSA COM OS ATORES E O PÚBLICO DEBATENDO A TEMÁTICA.
 
Serviço
 
Novo Centro Cultural do Jardim Morada do Sol - Av. Engenheiro Fábio Roberto Barnabé, 5924 - Jardim Morada do Sol
Sala Acrísio de Camargo – Ciaei - Av. Engenheiro Fábio Roberto Barnabé, 3665 - Jardim Regina
 
 
..